Rogério Ceni entra para a história do futebol (Foto: Marcos Ribolli / GLOBOESPORTE.COM)

Treinador diz que goleiro merece tudo que conquistou na carreira e que o fim da escrita de quatro anos sem bater o Timão dará tranquilidade para o time.
Como Muricy Ramalho, que foi quem autorizou Rogério Ceni a começar a cobrar faltas, Paulo César Carpegiani também tem importância na trajetória de sucesso do goleiro artilheiro que, neste domingo, chegou ao centésimo gol de sua carreira, marcando na vitória do São Paulo sobre o Corinthians por 2 a 1, na Arena Barueri, pelo Paulistão. Foi o comandante que, em 1999, voltou a autorizar o camisa 1 a efetuar cobranças, o que havia sido proibido pelo seu antecessor, Mário Sérgio. Feliz com o feito do seu capitão, Carpegiani diz que marca ficará eternizada na história do futebol, assim como o milésimo gol de Pelé.

- Sem querer ser arrogante, ninguém vai fazer o que ele fez, assim como ninguém chegou perto do Pelé. Essa marca será histórica e única. Eu duvido que alguém fará isso, nenhum goleiro chegará aos 100 gols. O Chilavert, que tinha a possibilidade, parou. Aliás, fico bem à vontade para falar sobre os dois goleiros porque trabalhei com o Chiavert na seleção paraguaia. Ele tinha um jeito particular de bater faltas, colocava quatro companheiros na barreira e batia no momento em que eles abriam, o goleiro não tinha tempo de reagir pela força. Já o Rogério é pura maestria – afirmou o treinador são-paulino.

O treinador não se cansou de elogiar o camisa 1.

- Vocês não tem noção do que o Rogério representa dentro do São Paulo. Em qualquer lugar do país que nós vamos, quando estamos em situação difícil para sair de algum lugar, é só chamar o Rogério que todo mundo vai para cima dele. É algo impressionante. E ele é humilde, simpático. É um privilégio muito grande estar vivendo isso. Vocês poderiam buscar uma série de adjetivos no dicionário que certamente poderiam ser aplicados ao Rogério – ressaltou.
Carpegiani disse que o feito do goleiro e a vitória na tarde desta tarde foram muito importantes porque darão confiança para o elenco na sequência da temporada e, principalmente, para trazer a tranquilidade de volta. O Tricolor encerrou uma escrita de quatro anos sem vencer o Corinthians.

- Essa vitória é claro que tem um sabor muito especial porque acabou com essa história de tabu, que estava incomodando demais aos meus jogadores. Todos deram muita ênfase ao assunto durante a semana. Isso felizmente acabou e, daqui para frente, o grupo terá tranquilidade para trabalhar e se preparar, porque ainda teremos muitos jogos decisivos e poderemos reencontrar o Corinthians lá na frente – analisou.