O clássico São Paulo x Corinthians não pode ser razão para demissão de treinadores. Tanto Fernando Diniz quanto Tiago Nunes não são responsáveis exclusivos pelas oscilações de seus times. Há questões estruturais que são dos clubes, passam por diretores e presidentes. Não é para cair. O alerta é apenas porque o clássico Majestoso é o maior degolador de treinadores do país.

O São Paulo é o clube que mais causou demissões de treinadores do Corinthians: quinze.

E o Corinthians é o time que mais provocou degolas de técnicos do São Paulo: cinco.

Neste último caso, o Palmeiras também causou cinco demissões de treinadores são-paulinos.

A estatística dá noção da dificuldade de se disputar um São Paulo x Corinthians. Da responsabilidade, também.

O São Paulo chegará ao clássico em terceiro lugar e com mais tranquilidade. A pressão sobre Fernando Diniz é pelo passado do clube, não pelo treinador. Houve dez técnicos nos últimos cinco anos, resultado dos erros da direção.

O Corinthians tem a necessidade da mudança de estilo, que se impôs a Tiago Nunes. Há uma dificuldade grande para esta transição. Pior será se tiver de começar tudo de novo.

O clássico será a chance de Luan criar finalmente uma relação com a torcida corintiana. E o desafio de Diniz encontrar um substituto para Daniel Alves. Provavelmente será Tchê Tchê como meia.

A dificuldade histórica do clássico indica a responsabilidade de Tiago Nunes e Fernando Diniz.

Abaixo, veja a lista dos que já caíram no clássico.

QUEDAS DE TREINADORES DO CORINTHIANS

Joseph Tiger (1944)
Alcides Aguiar (1946)
Rato (1954)
Osvaldo Brandão (1957)
João Lima (1961)
Dino Sani (1970)
Dino Sani (1975) - segunda vez
Julinho (1981)
Cilinho (1991)
Júnior (2003)
Juninho Fonseca (2004)
Tite (2005)
Daniel Passarella (2005)
Antônio Lopes (2006)
Ademar Braga (2006)

QUEDAS DE TREINADORES DO SÃO PAULO

Ignaz Amsel (1938)
Carlos Alberto Silva (1990)
Nelsinho Baptista (2002)
Ney Franco (2012)
Diego Aguirre (2018)