Ídolo do São Paulo, Souza comentou sobre o trabalho de Daniel Alves no São Paulo. Apesar de o time passar por um momento ruim e diante da grande chance de eliminação na fase de grupos da Libertadores, o camisa 10 tricolor foi poupado pelo ex-meia.

“Não sou defensor do Daniel Alves porque não sou pago para isso, mas o Daniel fica querendo fazer alguns tipos de jogada e ele esqueceu que antigamente tinha o Messi do lado dele. No São Paulo não tem”, afirmou Souza em entrevista exclusiva ao Gazeta Esportiva.

Igor Gomes, no entanto, causou uma certa revolta em Souza com o episódio em que ele foi chamado por Fernando Diniz para entrar em campo, mas estava sem a camisa de jogo, que teve de ser buscada por um membro do staff do São Paulo que o atleta pudesse entrar em campo.

“Um jogador do São Paulo que vai para o jogo e esquece de colocar a camisa do clube. Eu, em Alagoas, fico sabendo que o empresário desse jogador marcou uma reunião com o Fernando Diniz para dizer que ele… então, as coisas estão se invertendo. Essa molecada que está surgindo já está achando que é o que não é. Na minha época eu levava cafezinho para os mais velhos. Hoje os moleques já têm advogado, tudo”, prosseguiu.

“Gosto dele como jogador. Estou falando dele como um jovem que está vestindo uma camisa que ele não tem noção do tamanho dela. É a mesma coisa que ir para a guerra com uma vassoura. Você vai tomar tiro, e a vassoura não atira”, completou.

Gazeta Esportiva