Rogério Ceni Marcos Bem Amigos (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

Dos 100 gols marcados, sete foram no rival alviverde, o clube que mais sofreu com os certeiros chutes do goleiro-artilheiro são-paulino.
O pentacampeão Marcos, o ex-goleiro Sérgio e Diego Cavalieri, que hoje está no Fluminense, têm algo em comum, além da posição em campo. Com a camisa do Palmeiras, eles ajudaram Rogério Ceni a alcançar a marca de 100 gols na carreira. E tornaram o Alviverde a principal vítima dos tiros do goleiro-artilheiro (assista ao vídeo abaixo). Na carreira, o camisa 1 são-paulino anotou sete bolas nas redes palmeirenses. Curiosamente, o Tricolor não perdeu nenhuma das sete partidas: foram quatro vitórias e três empates (confira abaixo a tabela completa).
O primeiro a sofrer com o pé calibrado de Rogério Ceni foi Marcos. Companheiro do são-paulino na conquista do pentacampeonato com a Seleção Brasileira, em 2002, o camisa 12 alviverde buscou a bola no fundo das suas redes em quatro oportunidades. A primeira delas foi em 1999, no Campeonato Paulista. De pênalti, o capitão tricolor deixou a sua marca pela primeira vez. O “santo” palmeirense ainda sofreu em 2002, 2005 e 2008.

TODOS OS GOLS DE ROGÉRIO CENI SOBRE O PALMEIRAS
DATAJOGOGOLEIROGOLTORNEIO
18.04.19994 x 4MarcosPênaltiPaulistão
28.04.20022 x 2MarcosFaltaRio-São Paulo
20.02.20053 x 0SérgioFaltaPaulistão
25.05.20052 x 0MarcosPênaltiLibertadores
03.05.20062 x 1SérgioPênaltiLibertadores
01.04.20073 x 1Diego CavalieriPênaltiPaulistão
19.10.20082 x 2MarcosPênaltiBrasileiro

 - É uma marca impressionante. O Rogério merece porque é um dos melhores batedores de falta que eu já vi e treinou muito para isso. Ah, e é bom que ele se lembre de que eu tenho participação neste feito aí. Se não fossem os gols que eu sofri, ele não estaria comemorando - brincou Marcos.
No meio tempo entre os gols sofridos por Marcos, Sérgio também foi vítima de Rogério Ceni. Com precisão, o arqueiro são-paulino marcou de falta, em 2005, durante disputa do Paulistão. O reserva voltaria a levar outro gol, novamente com um chute do rival, em 2006, também no estadual.

EM BREVE VIDEO

Apesar dos gols sofridos, palmeirenses não guardam rancor do adversário. No caso de Diego Cavalieri, vítima também de um pênalti, no Paulista de 2007, a sensação, foi esquisita. O motivo é o fato de levar um gol de goleiro, algo que ainda não é tão comum no futebol.
- O Rogério Ceni é um grande goleiro e me recordo do jogo em que sofri um gol dele. Não é uma situação muito normal levar um gol de outro goleiro, mas ele é um especialista em bolas paradas e já demonstrou isso ao longo de sua carreira. Foi a única vez que levei um gol dele. É experiente e com um currículo de muitos títulos, além de ser um grande profissional - avaliou o atleta do Fluminense.